terça-feira, 3 de setembro de 2013

Pitágoras, a Reencarnação e o Número

Bem mais que o seu famoso Teorema, Pitágoras foi um reformador religiosoHá muitos séculos a espiritualidade, através de espíritos de extrema sabedoria e elevação, vem fornecendo informações importantes para o desenvolvimento físico e espiritual da raça humana no seu caminho de volta á inteligência suprema, de onde veio desde a decisão divina de permitir a expansão do universo.
A inteligência, em todos os níveis da existência, tornou-se tão plena que chegou o momento de compartilhar e expandir-se. E foi ai que iniciou-se a expansão do cosmo, do qual somos todos e tudo partículas, centelhas.
O Universo reflete a expansão do amor, da sabedoria, da inteligência e do principio e o fim de tudo: DEUS.
Recebi de um amigo do facebook, há pouco, os versos aureos de pitágoras, lembrete ( ou recado ) de meu pai, de quem os recebi em minha adolescência como objeto de reflexão.

Dizia o post:
Mesmo tendo vivido há mais de 2500 anos atrás, o Mestre Pitágoras, dentre os maiores sábios de todos os tempos, nos transmite através destes simples versos, ainda hoje, uma profunda sabedoria.
Aqui estão apresentados numa tradução livre de Júlio Maciel, existem outras que também valem a pena ler e refletir.Boa noite, Seres.

Obrigada, Valter Almeida.!


DO TEXTO A SEGUIR:

" Pitágoras foi um reformador religioso e sua filosofia tinha a intenção de introduzir o raciocínio lógico ao domínio da religião.
Para ele, Deus é, ao mesmo tempo, o UM e o TODO. Erroneamente, os seres humanos tentaram humanizá-Lo através das mais diversas formas e alegorias, de acordo com a cultura e os costumes das diversas sociedades. Pitágoras não elevava altares para Deus, pois sabe que Ele não possui forma alguma e seus aspectos são apenas símbolos que tornam o eterno conhecimento divino mais acessível ao ser humano.
Cada um de nós emana de Deus. Pitágoras entendia que o espírito do homem conserva de Deus a sua natureza imortal e indivisível. Considerava o corpo físico nossa parte mortal, divisível e passiva, só pode acontecer com um corpo bem harmonizado."

do blog: http://caosnosistema.com/

VERSOS ÁUREOS DE PITÁGORAS


(Tradução de Júlio Maciel)

PREPARAÇÃO :
Aos Deuses imortais sagrado culto rende;
Resguarda o coração. Tua crença defende,
Aos sábios e aos heróis, em preito fervoroso.

PURIFICAÇÃO ;

Sê bom filho e pai, justo irmão, terno esposo,
Elege amigo teu o que em virtude prima,
Vive com ele e dele te aproxima.
Os conselhos lhe escuta; e se te aconselhando,
O teu amigo for um dia menos brando,
Perdão! Que sobre a fiel vontade – Ó lei severa ! –
A Fortuna fatal, às vezes prepondera.
Dominar as paixões é dom que te pertence:
Tuas loucas paixões subjuga e doma e vence.


Sê castro, sóbrio e ativo. A cólera o semblante
Nunca te ensombre, nunca o mal de seja aceito.
Em público ou sozinho, e como a um semelhante,
A ti mesmo tributa o devido respeito.


Na palavra e na ação sê justo e sê prudente.
Vive – mas não te saia a morte da lembrança;
Nem te esqueças jamais de que o homem facilmente
Perde as honras e os bens que facilmente alcança.


Se os males que o destino acarreta à porfia,
Nem podes mitigar – não blasfeme o teu lábio;
Suporta-os com prudência e nos Deuses confia,
Que aos Deuses praz valer ao que usa como Sábio;


Adeptos o Erro os tem, como a verdade bela;
O sábio adverte austero, ou aconselha amigo;
Mas, se o Erro vil domina – Ele recua, e vela;
Grava no imo do preito as palavras que eu digo:


Não tenhas prevenção alguma: Todavia,
Os atos de outrem pesa e a ti mesmo te guia;
Pois que nem todos são exemplo e ensinamento.
Só do insensato é agir sem fim, razão nem tento.
Contempla, no presente, o futuro e o passado.
Faze apenas aquilo em que fores versado.
Instrui-te com vagar, aprende com paciência,
Do tempo e da Constancia é que vem a sapiência,
Poupa a saúde, que ela é um tesouro precioso:


Ao teu corpo – Alimento, à tua alma – Repouso.
Usa moderação, porque inda mais nocivo
Do que a falta – Resulta, às vezes o excessivo.
Não pratiques o luxo e a avareza também,
Pois só no meio termo é que consiste o bem.

PITÁGORAS. Quem foi este sábio?

Pitágoras, a Reencarnação e o Número


















Pitágoras nasceu na ilha de Samos, localizada no mar Egeu, Ásia Menor. O seu pai era um rico joalheiro chamadoMnesarco. Sua mãe chamava-se Parténis e, lhe foi prometido, ao visitar o Oráculo de Delfos, que ela daria luz à um filho que seria útil para todos os homens durante toda a eternidade.
O semblante de Pitágoras é desconhecido, pois não existe nenhuma escultura remanescente que possa ser considerada um retrato fiel. Algumas citações antigas afirmam que ele era alto, tinha cabelos longos e cultivava uma bela barba. Uma mancha dourada de nascença enfeitava uma de suas coxas, fato esse que ajudou a fortalecer ainda mais o mito de que ele seria filho de Apolo.
Encontramos na figura de Pitágoras um evidente conflito entre o histórico e o lendário, devido ao grandioso trabalho de propagação dos seus ensinamentos executado por seus discípulos após a sua morte, cada um adequando os ensinamentos do mestre de acordo com o seu próprio entendimento.
O que dificulta ainda mais o estudo dos ensinamentos desse sábio é o fato de ele não ter deixado nenhuma obra escrita. Pitágoras transmitia o seu conhecimento apenas através da fala – sua voz era marcante e charmosa. Ele é descrito como uma pessoa muito carismática e com uma capacidade inata de atrair multidões de ouvintes que escutavam suas palavras com uma atenção especial.
pitagoras-triangulo2
Pitágoras não se tornou sábio por acaso. Dono de uma sede de conhecimento espantosa, seus pais não pouparam esforços para propiciar-lhe as melhores condições de estudo. Ele recolhia aqui e ali tudo o que se ajustava ao seu entusiasmo, sem preconceito de saber, pois entendia que a sabedoria plena e completa pertence a Deus, mas os homens podem alcançá-la através da filosofia, isto é, tornando-se amigo da sabedoria.
Seu primeiro mestre foi Hermodamas de Samos, um sábio da sua cidade natal. Também foi discípulo de Ferécides de Siro. Viajou para Cnossos, onde foi iniciado, por Epimênides, na mística caverna de Ida. Ainda na Grécia, estudou com Tales e Anaximandro, antes que Mileto viesse a ser destruída pelos persas. Influenciado por Tales, deu início a uma viagem em busca de conhecimento acerca dos mistérios da vida e do universo.
Pitágoras chegou ao Egito com uma carta de recomendação de Polícrates – soberano de Samos – destinada ao faraó Amasis. Foi introduzido, assim, aos sacerdotes de Mênfis, com quem estudou os mistérios secretos egípcios por longos 22 anos.
Após a invasão do Egito por Cambisses, Pitágoras foi transferido como prisioneiro de guerra para aBabilônia. Chegando lá, teve a oportunidade de entrar em contato com os mais diversos tipos de influências culturais, morais e religiosas. Estudou magia antiga com os Caldeus; conheceu os segredos da Kabbalah; foi iniciado nos mistérios dos hierofantes de Tebas; estudou com os brâmanes da Índia; foi apresentado ao Zoroastrismo.
babilonia
Babilônia
Homem de muitas viagens e de um espírito místico, Pitágoras construiu um sistema filosófico eclético, combinando diversos elementos religiosos e morais às suas conclusões científicas.
 Deus, Reencarnação e Karma
Antes de qualquer outra coisa, Pitágoras foi um reformador religioso e sua filosofia tinha a intenção de introduzir o raciocínio lógico ao domínio da religião.
Para ele, Deus é, ao mesmo tempo, o UM e o TODO. Erroneamente, os seres humanos tentaram humanizá-Lo através das mais diversas formas e alegorias, de acordo com a cultura e os costumes das diversas sociedades. Pitágoras não elevava altares para Deus, pois sabe que Ele não possui forma alguma e seus aspectos são apenas símbolos que tornam o eterno conhecimento divino mais acessível ao ser humano.
Cada um de nós emana de Deus. Pitágoras entendia que o espírito do homem conserva de Deus a sua natureza imortal e indivisível. Considerava o corpo físico nossa parte mortal, divisível e passiva, mas merecedora de atenção idêntica aquela recebida pelo espírito, pois, a evolução espiritual só pode acontecer com um corpo bem harmonizado.
O ponto central do seu ensinamento religioso era a crença na Reencarnação e no Karma.
Esta vida é o resultado de muitas outras pelas quais já passamos. As alegrias e os infortúnios que nos acontecem são apenas resultados das nossas ações passadas. Pitágoras entendia que cada existência que vivemos tem como objetivo eliminar o mal adquirido nas vidas anteriores com o aperfeiçoamento dos nossos conhecimentos e pelo exercício das boas virtudes como a bondade, compreensão, compaixão e caridade.
Ele olhava para as estrelas e percebia o mundo dos astros em eterno movimento, de beleza infinita e em perfeita ordem e harmonia. Ao mesmo tempo, entendia que esse mundo de coisas perecíveis e mutáveis é um tipo de exílio, do qual o homem anseia libertar-se mediante o seu próprio esforço através das vidas sucessivas e, dessa forma, atingir a perfeição e se religar, novamente, com Deus.
reencarnacao

Muitos estudiosos afirmam com veemência que Pitágoras não acreditava na reencarnação, mas sim na metempsicose, pelo fato dele próprio e de muito de seus seguidores serem adeptos do vegetarianismo.
Essa afirmação não é verdadeira e baseia-se no fato de Pitágoras ter cultivado uma vida altamente ascética, não se permitindo usufruir de certa gama de alimentos. Não se pode, porém, creditar a Pitágoras a crença na possibilidade do espírito humano sofrer algum tipo de involução e reencarnar em corpos de animais ou em vegetais, pois isso vai contra a sua filosofia.
É bem possível que Pitágoras possuísse algum tipo de mediunidade, possivelmente a dupla-vista. Ele conseguia recordar-se de suas encarnações anteriores, entre elas o herói troiano Euforbo.

Os Números
Assim como seus companheiros de Mileto, Pitágoras também buscou a origem de todas as coisas, oprincípio único [arché]. Ele entendia que o número era essa arché, tornando-se o primeiro pensador a valorizar a função das ideias matemáticas no pensamento abstrato e, consequentemente, recebendo o título de pai da matemática.
Pitágoras percebeu que os fenômenos naturais são governados por leis que podiam ser descritas através de equações matemáticas, ou seja, nós poderíamos descobrir os segredos mais profundos do universo apenas analisando as relações entre os números.
Para ele, os números tinham uma vida à parte, existindo por si mesmo, independente da mente humana. Isso lhe proporcionava uma independência intelectual tremenda, pois, agora era possível descobrir verdades que estavam livres dos preconceitos e das opiniões pessoais, sendo mais absolutas do que qualquer outro conhecimento anterior.
Porfírio tece o seguinte comentário sobre esse tema:
“Os números de Pitágoras são símbolos hieroglíficos, por meio dos quais ele explica todas as ideias referentes à natureza das coisas”.
Pitágoras também encontra na sua arché numérica uma caracterização do dualismo universal; a eterna luta entre os contrários. Podemos distinguir nos números o par e o ímpar, que encerram noções opostas entre si. Essa oposição pode ser encontrada em toda a natureza através dos nossos órgãos dos sentidos sob a forma de qualidades contrárias: energia-matéria, positivo-negativo, claro-escuro, dia-noite, quente-frio, seco-úmido, áspero-liso, etc.
dualismo-pitágoras
Sabendo que a série de números pares e ímpares tem sua origem a partir do princípio único, o UM eterno e imutável, então toda essa polaridade observada no Universo acaba por dar lugar a uma grande unidade harmônica, que faz com o que o mundo possa ser conhecido como um sistema ordenado de opostos em concordância recíproca.
O tão famoso teorema que carrega o seu nome, não foi criação dele. Existem fragmentos de cálculos inscritos em tabuletas de barro na Babilônia que são datados do ano 2000 AC. O feito inovador realizado por Pitágoras foi à elaboração de uma forma geométrica para o teorema, propiciando o nascimento da geometria como ciência.
O objetivo primordial de Pitágoras era que as pessoas conseguissem atingir a completa purificação do espírito, através do conhecimento obtido estudando a beleza dos números e observando as suas mais perfeitas proporções espalhadas pelo Universo. Tudo se transforma em um movimento cíclico eterno constituindo uma harmonia perfeita e exata.


Um comentário:

Valter Almeida disse...

Muito Bom, Josevita.
Lembrou-me De Duas Escolas, O Círculo Esotérico Da Comunhão Do Pensamento E O Instituto neo-Pitagórico.
Muita Luz, Paz, Harmonia, Proteção E Inspiração Divinas Para Você. Amor Incondicional Em Sua Vida!
Valter.